Skip to content

Novidade

março 14, 2013
Veio como um rap
Uma coisa que de tão nova e boa 
                    me apavorou

Sua vontade é tanta
É tamanha
Que quase me espanta
E me acorda quando adormeço
E me esqueço até de quem pra mim é mais

Doce! Verso, letra, data rasgada
Dia perdido, noite zuada
Caligrafia esperta; maldita tragada
Ponche verde do que a gente bebe
                  pra ser o que diz

Tremo tanto que esse frio é quase vaidade
E quando ele chega eu me abraço em verdade
Não sei se é dela que falamos tanto ontem
                             quem me diz?

Espero que o recado dado
          seja o pensado
E que a minha mentira
      te faça enganda
E que a novidade
já venha abusada

 

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: